Técnica ikijime


Desta vez trago-te uma técnica, directamente do Japão, a ikijime.

O que é o método ikijime?


O método ikijime foi desenvolvido no Japão e lá é muito praticado.
Principalmente pelos mestres de sushi.

Consiste numa maneira de retirar a vida ao peixe, assim que ele é pescado.
De uma maneira muito mais rápida e humana, do que simplesmente deixar o peixe a sufocar fora de agua e a ter uma morte angustiante.


Embora não seja uma coisa bonita, nem agradável de se fazer.
Na minha opinião, o melhor desta pratica é o respeito mostrado pelo peixe.
Afinal é ele o protagonista principal de todo o prazer que a pesca desportiva nos proporciona.
A técnica ikijime consiste em se espetar um pequeno espeto directamente no cérebro do peixe, para que a morte seja imediata.
Alem disso, logo de seguida cortar uma veia que corre ao longo da espinha para que o sangue escorra todo e não danifique a carne.

IKIJIME


Vantagens da técnica ikijime

Ao praticar esta técnica, alem de mostrar mais respeito pelo peixe.
Vai, também beneficiar, ao ter um pescado com melhor sabor e uma textura mais tenra.
Pois se o deixar a sufocar dentro da alcofa, o próprio organismo do peixe, durante todo aquele tempo de sufoco, vai libertar toxinas na carne, e com isso afectar a sua qualidade.
Proponho-te a que faças o mesmo que eu.
É muito fácil, eu comprei uma pequena chave de estrela e afiei a ponta com uma lima.
Depois arranjei uma ponta de carbono para tapar o bico e coloquei na bolsa da alcofa do peixe.
Assim cada vez que vou lá por um peixe tenho a o “espeto” sempre ali á mão.
Mas podes usar uma rolha que faz o mesmo efeito.
Vamos mostrar mais respeito pelos nossos peixes.
E com isso ainda conseguimos melhorar a qualidade da sua carne na mesa.
Receita de sargo no forno

Se gostaste deste artigo e queres aprender como ler o mar, como escolher um pesqueiro, saber o que é uma feição e porquê que esta é muito importante, e muito mais, inscreve-te no nosso curso de segredos de pesca clicando aqui. (página de inscrição)

Para saberes mais sobre o nosso curso clica aqui

Abraço MM

Manuel Monteiro

Manuel Monteiro tem mais de vinte anos de experiência em pesca desportiva pela qual é apaixonado, especialmente á pesca aos sargos e mais de dez anos a trabalhar numa loja da área.

Website: https://segredosdepesca.com/oferta

    13 Comentários

    1. Carlos Coelho

      Boa Manel és o maior

        • Claudio A

          Gostei, adorei a dica, começei a pescar a pouco tempo, tenho aprendido mt com as tuas dicas e videos só ainda não comprei o curso
          porque ainda não consegui, e ontem apanhei o meu primeiro sargo ( uma coisa para 700gr) e sinceramente fez-me uma pena enorme ver o peixe ali a morrer lentamente, fico grato por este video ! Continue o bom trabalho! Abraço

          • Boas Cláudio

            Muito obrigado pelo seu feedback e parabéns pelo primeiro sargo, agora não há volta a dar, estas viciado ehehehehe.
            Quanto ao curso vais adorar e ficar impressionado com o que vais aprender.

            Abraço MM

    2. Joao Mugeiro

      Olá Manel
      Mais uma dica para formar e educar quem anda nestas coisas da pesca. Foi uma excelente ideia. Eu ja tentava fazer isto com os peixes maiores que apanho nas idas embarcadas, mas vou também fazê-lo aos sargos. Deixo só a ideia de ter visto em tempos num video qualquer no youtube, uma pessoa com 1 bico destes mas com uma pega em “T” tipo as pegas dos carretos maiores, sendo um pouco maior para abranger a palma da mão. Gostava de conseguir um acessorio desses, que ainda é mais ergonómico que a pega duma ferramenta. Não sabes da existencia disso mesmo feito a pensar nos peixes?
      Abraço

      • Boas amigo João

        Infelizmente não sei onde podes adquirir uma peça dessas.
        A pega maior realmente ajuda, pois é preciso mão firme para fazer esse trabalho, pois espetar aquilo na mão durante a pescaria não seria bonito.
        Mas no meu caso todo o peso que levo na alcofa tem de ser bem ponderado.

        Abraço MM

    3. Antonio costa

      Muito obrigado Manuel por seguir a minha humilde sugestão de divulgar esta prática. Como disse, e bem, só nos faz crescer como pescadores e homens. Bem haja. Abraço

    4. Joaquim Machado

      Boa noite Manuel por acaso já faço essa técnica á muito ano pois eu já trabalhei com peixe e conheço um pouco de peixes e tive sorte em trabalhar com pessoas espetaculares que infelizmente já não estão entre nós mas que muito aprendi com eles, mas não posso deixar de te dar os parabéns pela dica pois á muito pescador que de certeza não fazem ideia da diferença na qualidade do peixe,um abraço bons lances.

    5. Antonio Marto

      É assim mesmo Manel.

      Tb já conhecia a tecnica nao nao sabia exactamente como se fazia.

      Os bons seres humanos respeitam os outros seres, humanos e nao-humanos.

      Abraço de perto do Japão

    6. ALFREDO DE BARROS COELHO

      Obrigado Manuel
      Muito obrigado pela informação pois não sabia o local exacto do centro do sistema nervoso dos peixes.
      Posso ainda informar para melhorar esta informação que nas civilizações antigas da nossa Lusitania, antes dos Romanos nos terem trazido a sua religião católica apostólica ROMANA, bem romana e bem deturpada, na nossa religião mais antiga quando matávamos um ser vivo, uma peça de caça ou mesmo um peixe, nesse momento nós agradeciamos a esse ser vivo a oferta do seu corpo para a nossa alimentação.
      Essa energia da gratidão é muito importante para nós e para o animal, mais ainda do que o desejo de terminar o seu sofrimento .
      Abraço
      Alfredo
      PS- Confeso que a única parte que não gosto dos teus maravilhosos videos é quando atiras os peixes vivos para dentro do saco. Se transmitires a energia da GRATIDÂO já não conseguias atirar os peixes, mas sim colocá-los mais respeitosamente dentro do saco.
      Desculpa a minha frontalidade mas esta mensagem é para todos os pescadores.

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *