Consciência de pescador

Guardar

Guardar

Guardar

Guardar

Guardar

Guardar

Guardar

Para ser pescador não basta ir à pesca, nem tão pouco apanhar peixe.
Penso eu , que se perguntarmos a um grande grupo de pescadores o que mais apreciam nas suas jornadas de pesca, a grande maioria vai responder que é o contacto com o mar, com a natureza e claro a luta com os peixes.

Libertem o nemo

Neste vídeo eu tentei alertar em primeiro lugar à consciência dos pescadores para terem o cuidado de libertar os peixes mais pequenos.

peixe pequeno

Como lido com dezenas e por vezes centenas de pescadores diariamente, sei que uma das desculpas mais utilizadas para levarem peixes sem medida (peixes muito pequenos) para casa, é quando os peixes embuxam (engolem o anzol) por isso decidi gravar o simples processo de cortar a linha junto á boca do peixe, para que a dica chegue ao maior número de pescadores possível.

Pois ao cortar a linha junto à boca dos peixes, eles conseguem seguir com a sua vida normalmente
e com o tempo o próprio organismo acaba por expelir o anzol, agora levar o peixe pequeno só porque embuxou não vale a pena.

E muito menos puxar a linha para tirar o anzol, ou mesmo usar um desembuxador , vamos ter consciência ok?

Os “porcos” da pesca

Outro tema que infelizmente eu decidi abordar neste vídeo, e digo infelizmente pois é um tema tão batido, tão falado que achei sempre desnecessário eu falar sobre os “porcos” da pesca.

Mas quando eu saio de casa, depois de uma semana de trabalho faço mais de cinquenta quilómetros de jipe e escolho um pesqueiro muito longe e de difícil acesso num dia de uma nortada brutal, a pensar que mesmo que não pesque nada, vou passar um dia sozinho e sossegado à beira mar a fazer
o que mais gosto, e ao chegar ao pesqueiro deparo-me com uma autêntica pocilga é difícil não fazer nada.

lixo1
lixo

Tinha de suportar aquele cheiro a peixe podre (porque os  “porcos” deixaram bogas e peixes agulha  ao sol) pelo menos durante quatro horas, pois as minhas opções eram ou voltar a subir tudo e ir para casa , ou mudar de pesqueiro e enfrentar a nortada.

Peço desculpa aos meus amigos pescadores por não lhes dar nenhuma dica técnica neste vídeo , mas não podia ficar calado ao me deparar com uma situação destas, e perder a oportunidade de fazer chegar ao maior número de pessoas possível esta mensagem , pois pelos vistos ainda não existem as suficientes.

Se gostaste deste artigo e queres aprender como ler o mar, como escolher um pesqueiro, saber o que é uma feição e porquê que esta é muito importante, e muito mais, inscreve-te no nosso curso de segredos de pesca clicando aqui. (página de inscrição)

Para saberes mais sobre o nosso curso clica aqui

Abraço MM

Outros vídeos de interesse:

Manuel Monteiro

Manuel Monteiro tem mais de vinte anos de experiência em pesca desportiva pela qual é apaixonado, especialmente á pesca aos sargos e mais de dez anos a trabalhar numa loja da área.

Website: https://segredosdepesca.com/oferta

    33 Comentários

    1. Ricardo Santos

      Parabéns pela mensagem/iniciativa, e sobretudo pelo acto de tirar o lixo do sitio. Infelizmente também tenho visto situações destas (algumas bem piores…como fazer as necessidades no próprio pesqueiro) e onde tenho feito o mesmo…excepto nos casos que mencionei em parentises….

      è mudando as mentalidades (chamando a atenção das mesmas “cabecinhas”) que se conseguem algumas mudanças, que tanto contribuem favoravelmente não só para o bom civismo, como para o meio ambiente.

      “Estamos em 2016” como dizes…o acesso a educação aumentou…mas as mentalidades não têm evoluído (infelizmente) na mesma proporção, como seria desejavel…

      Parabéns mais uma vez.
      Continuação de um bom trabalho.

      Ricardo Santos

      • Muito obrigado pelo comentário Ricardo
        Realmente eu também já vi piores, mas normalmente são pesqueiros
        de acesso mais fácil, pesqueiro à beira da estrada, que me custou mais
        é saber que se deram ao trabalho de descer a um pesqueiro tão longe
        onde supostamente se consegue estar mais sossegado mais intimamente ligado à natureza
        e sujaram aquilo tudo.

    2. José Ribeiro

      É uma questão cultural que demorará muitos anos a mudar.
      Estas acções como a do Manuel, do Ricardo e tantos outros serão insuficientes se não houver um plano nacional a nivel da educação primária que nos permita crescer valorizando a natureza e a sustentabilidade do planeta.
      Não precisamos de ir aos pesqueiros para ver esta miséria, bastará ver nos centros urbanos o que se faz nos ecopontos e se não estivermos distraidos o que acontece todos os verões com os incendios.
      Claro que existe incendiarios, interesses instalados etc… mas o combustivel está lá , porque não se faz a limpeza aos campos e florestas, deixando crescer matagais, aterros etc..
      É de facto muito confrangedor o que se ve em pesqueiros que se queriam como santuarios e locais para obtermos a nossa “paz de espirito” e carregarmos baterias para a semana de trabalho.
      Partilho com o Ricardo os meus agradecimentos pela abordagem e alerta que fizeste com este tema e claro que não vamos baixar os braços nesta luta que irá ser certamente para gerações.
      Obrigado

    3. orvando junior

      Olá, muito boa a dica, as vezes isso acontece e já levei peixe pra casa pelo fato de ter embuxado o anzol!!!

    4. Cirilo

      Boa noite tem muita razão há pessoas muito porcas, o peixe se não o querem levar devolvam ao mar vivo ou morto que assim sempre vai alimentar outros.
      Eu levo sempre comigo um saco para o meu lixo e muitas vezes apanho o dos outro e levo para deitar fora.
      Um abraço e bom video.

    5. Christophe

      Bravo !!! Sempre so a tirar lixo dos outros !

    6. Jose Bacalhau

      Muitos parabéns por todas as dicas e pela pessoa que você demonstra ser.
      A humildade de quem ensina o que sabe.
      Bem haja!

    7. Luis Manuel Paula Pimentel Costa

      Sr. Manuel Monteiro, quando o Sr. nasceu provavelmente eu já pescava, contudo alegro-me porque cada vidio seu que vejo aprendo sempre qualquer coisa que somado já é muito. Aquilo que mostra neste vidio é algo que me confrange todos os dias que saio para pescar e nunca me tinha lembrado do isqueiro, não fumo mas como Bombeiro ando sempre com um no bolso como arma de defesa (quase só os Bombeiros compreendem esta). Assim se calhar hoje já começo uma nova tarefa de pesca, porque aqui por Peniche pescadores porcos é o que há mais. Obrigado pela lição e pela pessoa que é.

      Luís Pimentel

      • Sr. Luís muito obrigado pelas suas palavras
        é sempre bom receber esse feed back, principalmente de alguém tão experiente.
        Abraço MM.

    8. José Chanoca

      Bom dia.
      Haverá sempre mentalidades retrogradas que só pensam neles e não nos outros.
      Vivo no Seixal, terra de pescadores, mas acho que são mais porcos do que pescadores.
      A mim já me aconteceu espetar um bocado de garrafa de cerveja no pé, felizmente sem complicações.
      Quanto ao peixe pequeno também o deixo ir embora.
      Continuação de bom trabalho, ando nisto há cerca de 9 anos, com de paragem de dois anos por motivos de saúde, e estou a aprender umas coisas que até alguns pescadores que conheço não me disseram, (um ou outro devem ter medo de apanhar mais do que eles…)
      Boas pescarias.

      • Bom dia José
        Muito obrigado pelo seu comentário, quanto aos seus amigos
        Com medo ou não, não podem evitar o inevitável eheheh.
        Abraço MM.

    9. Rui Ferreira

      estando em Portugal infelizmente é esta a realidade, quando existirem coimas como nos outros paises e não falo de poucos euros, pode ser que apredam, pois o adulto sem punição não vai lá.
      ser educado, honesto e correcto não compensa como tal… não digo mais.
      Fico também triste claro, mas espero que os jovens possam aprender com a net pois sendo os pais iguais, vão aprendr mais do mesmo.
      abraço
      Rui

      • Olha Rui boa ideia em lugar de aplicarem leis sem sentido tipo cortar o rabo aos peixes e outras, deviam era multar que deixa lixo nos pesqueiros.
        Abraço MM.

    10. orlando

      Estive nesse pesqueiro fantástico no dia 8 de Abril e felizmente estava limpinho como todos gostamos, tenho evitado com muita pena os pesqueiros do Guincho porque os estão nojentos… só visto… esperemos que não inventem outra licença especial porque acho que o motivo da actual foi mesmo por causa destes comportamentos…

      • Pois é Orlando, e descer aquilo tudo para ficar a levar com cheiro de peixe podre é muito triste mesmo.
        Abraço e obrigado por comentar.

    11. Xico

      Bom dia,
      À muito porco na pesca, não são dignos de estarem em sítios lindos como aqueles que temos e que podemos desfrutar gratuitamente….
      A captura de peixe pequeno é de gente baixa e sem respeito….
      Obrigado Manel!
      Abraço !

    12. António Ferreira

      Se poder satisfazer a minha curiosidade, onde fica este pesqueiro? Perto da sua loja não é, de certeza.
      Obrigado.

    13. Rui Almeida

      Bom Dia,
      Estamos perante uma falta de formação/educação. O que demostra o quanto estamos na cauda da Europa.
      Por isso e em relação aos países nórdicos ainda estamos mais de uma geração atrasados.
      Da última vez que fui ver se enganava um peixe levei um saco com uma sandocha e duas garrafas e trouxe um saco cheio para o lixo. No entanto quando lá voltar vai estar igual porque também já lá teve as bestas quadradas (sem ásperas).

    14. João Caseiro

      Parabéns por não descurar também a aprendizagem cívica.

      No norte, onde vivo e pesco há vários pontões para onde já não vou pescar porque fico doente com a quantidade de fio de nylon que por lá se encontra. Em vez de me sentir relaxado por estar próximo da natureza fico é irritado.
      Mais que o chumbo, outros lixos ou até o peixe retirado do mar, tenho quase a certeza que a maior peugada ecológica dos pescadores desportivos são os fios rejeitados.

      • Obrigado pelo seu comentário João.
        Sim eu concordo, acho que as linhas são o pior.
        Pois são muito resistentes á agua do mar.

        Abraço MM

    15. Carlos Pimenta

      Obrigado pelos videos e pela lição de vida. Quanto á limpeza do local de pesca devia ser mais que tudo um dever de cada pescador. Papel de embrulhar as iscas, sacos plásticos e garrafas, é o que mais se vê. Uma vez estava á pesca totalmente descontraído quando nas minhas costas ouvi dizer: “estes pescadores são uns porcos”! Não enfiei o barrete mas tive vergonha. Um casal trazia um saco plástico e estavam a recolher o lixo que encontravam.
      Um abraço
      CP

      • Boas
        Obrigado por comentares amigo.

        Podes querer, é mesmo de uma pessoa ficar envergonhada.

        Quando começou “febre” das corvinas grandes ali no pontão da expo, fui lá com a família num fim de semana passear e ver o espectáculo.

        E ainda bem que fui á civil, pois ficaria muito envergonhado se fosse identificado como pescador.

        Um local que é como uma montra do nosso país para os turistas, era simplesmente um nojo.
        Aquilo tem lá um pequeno muro onde as pessoas se sentam a apanhar sol e a ver o rio.

        Tinha zonas onde os porcos preparam o choco para iscar, que o cheiro era tão forte que mal se podia passar por lá, quanto mais sentar.

        Um nojo autentico.

        Abraço MM

    16. Jorge M. Andrez Correia

      Caro Manuel Monteiro,

      Tenho seguido os videos publicados e acho que está a fazer uma ótima divulgação da arte da pesca. Pela sinceridade e empenho.

      Quanto aos detalhes, a pequena diferença no sucesso na pesca, compartilho o gosto.

      Nota alta para este aspecto cívico quanto aos que os que se dizem pescadores completos e o não são porque, à parte a porcaria de que demonstram ser feitos, “o que não comem, estragam”. A particularidade de devolver o peixe embuchado à água, ainda com o anzol, parece-me a primeira que encontro em videos semelhantes, mas crucial, se não quisermos ser infanticidas e ainda privarmo-nos de apanhar talvez esse peixe um dia, mais tarde, quem sabe? Concordo plenamente em mandá-lo crescer. Matar por matar é do pior no ser humano. Quem já não viu aquele sujeito com cana na mão (que não lhe vou chamar de pescador), bater contra as pedras aquele caboz – chamando-lhe nomes ou aquela boga infeliz ou o peixe-agulha que lhe foi à iscada?! Aonde está o civismo de apanhar apenas o necessário e se possível grande, para comer fresco ao jantar? Em vez de encher a arca com peixe pequeno, que depois vai deitar fora, porque ninguém o quiz comer? Ou fazer-se de “generoso” e oferecer aos vizinhos para se mostrar? E o respeito pelo peixe que vamos tomar? Esquecemos que é uma vida, animal, é certo, mas não é apenas um troféu. A propósito, seria interessante um video mostrando como podemos manusear o peixe, se o pretendemos libertar, por uma razão ou por outra. Já vi videos onde enaltecem o “catch & release” mas ali, o cherne foi metido a bordo com ajuda de bicheiros e o animal foi içado por todo lado menos pela boca… para ser deitado fora para certamente morrer estupidamente. Lamentável!

      Fica o meu agradecimento pelas excelentes dicas assim como pela atitude correcta e subscrevo-me com algumas sugestões.

      • Boas amigo Jorge Correia

        Muito obrigado pelo seu comentário, e pelo feedback.

        Essas atitudes são realmente lamentáveis.
        Eu espero com o meu trabalho, conseguir dar algum contributo-o para a consciência dos pescadores vá mudando.
        Pois um ser humano que não respeite uma vida animal, não pode ter respeito por ele mesmo.

        Felizmente já se nota que os jovens pescadores têm um comportamento cívico muito diferente da geração anterior.

        Abraço MM

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *