As analogias do Manel

As analogias do Manel.


Olá companheiro.

Desta vez decidi fazer um video um pouco diferente, ao estilo “á pendura do Manel”

E assim partilhar contigo alguns dos meus pensamentos e analogias.
Pois transpondo a arte de pescar para as coisas mais comuns a todos nós, espero conseguir fazer perceber, que a pesca desportiva é bem mais complexa do que muitas vezes acreditamos.

Assim, relato um caso de um amigo que me pediu alguns conselhos para uma pescaria que vai realizar em Sines.
As perguntas que me fez foram as mais comuns, tais como:

Qual o pesqueiro que me aconselhas para pescar?
Qual o melhor isco para pescar aos sargos?
Ou mesmo, qual o melhor anzol para pescar aos sargos.

Ao qual eu respondi com uma analogia de um rapaz que quer conquistar uma rapariga.

Não é por escolher o melhor restaurante ou a melhor refeição, que ele vai a conseguir conquistar.
Mas se fizer bem todo o “trabalho” que está por de traz, bem feito,provavelmente terá sucesso.

Caso do taxista.
ANALOGIAS

Outro caso que acho muito engraçado é o do meu amigo taxista.

Esse amigo, já é um homem maduro e com muito anos de pesca.
Mas  que infelizmente ainda não percebeu como funciona a pesca aos sargos.

Ainda me pergunta qual o pião que deve de usar ou qual a espessura de linha por exemplo.
Diz-me que no dia da pescaria está previsto um mar com ondas de dois metros, por exemplo.
E depois faz-me as perguntas e não quer que eu responda “depende”
O que me deixa em uma situação muito ingrata, pois ou eu invento ou não respondo.

Assim criei esta analogia de comparar a pesca com a condução de um automóvel, para ele perceber que não é má vontade da minha parte em o ajudar.
Mas acho que não resultou eheheheh

Grande abraço MM

Manuel Monteiro

Manuel Monteiro tem mais de vinte anos de experiência em pesca desportiva pela qual é apaixonado, especialmente á pesca aos sargos e mais de dez anos a trabalhar numa loja da área.

Website: https://segredosdepesca.com/oferta

    1 Comentário

    1. Fernando Dias

      Viva companheiro. Como dizia o saudoso Manuel de Almeida,” …não é fadista quem quer, mas sim quem nasceu fadista…”. E está tudo dito!

      Um abraço.

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *